Quem é você, educador (a)?

Responda, MENTALMENTE, a estas perguntas:

  • A felicidade existe? 
  • Você se considera feliz? 
  • Como estão os seus relacionamentos?
  • Você se conhece
  • Quais são os seus sonhos?
  • Existe destino pre-determinado?
  • Como está se sentindo agora.

Independentemente das suas respostas, pois elas são apenas um pretexto para você entrar em contato com a sua essência, antes de  ser um profissional da educação, você é gente.

E é como você, gente,  que quero iniciar a nossa conversa.

Creio numa trilogia que sustenta o ser humano: corpo, mente e alma, independente de crenças religiosas,  raça, gênero ou status social.

Há uma certa tendência em separar o corpo da mente e encarar cada um dos diversos aspectos da condição humana como sendo capazes de existir independentemente uns dos outros. Porém, à medida que a pessoa descobre a natureza da conexão entre a mente e o corpo, o nível da percepção humana começa a se modificar, numa evolução em forma de espiral e não em linha

Imagine alguém  subindo uma montanha.

No pé da montanha, quando se olha para cima, é muito diferente de quando se está caminhando em direção ao topo da montanha.

Á medida em que se escala a montanha, existem perspectivas diferentes.

A visão do pé da montanha é limitada, porém quanto mais alto se chega, mais claramente visualizar-se-á  o todo à sua volta.  

O mesmo acontece com você quando percebe a conexão entre o seu corpo e a sua mente.

Pensando nisso, gostaria que você você respondesse ao formulário neste link abaixo. 

https://docs.google.com/forms/d/e/1FAIpQLSfn7REe82mBdIOg36he1KbblFjrmb0_5oj35XCrwalrtYJB9w/viewform?usp=pp_url